segunda-feira, agosto 01, 2011

Sinfonias e acordes


Coitadinhos dos anjos

Que me traziam harpas.

No meio do caminho lutaram com demônios.

Queriam me ofertar guitarras

Para compor uma triste sinfonia.

Doente fiquei.

Na ânsia da espera,

Acamada, escondi-me

Diante da triunfal briga.

Coitadinhos dos anjos

Construtores das asas quebradas,

Que em combate,

Demônios harmonizaram acordes,

Conduzindo-me a vã vitória.

Mas anjos espertos,

Como numa colméia

Não desistem dos seus caminhos,

Trouxeram-me flores com seus doces perfumes

Para dizerem que a sinfonia ainda existe,

Embora inacabada,

Resiste a falsos demônios que

Insistem pela minha derrocada.

Coitadinhos dos demônios,

Que morrem a cada passo meu.

Desistem da minha conquista,

Ao verem que não esmoreci.

Paola Vannucci

01/08/2011