sexta-feira, julho 31, 2009

Epidemia




Epidemia
Pandemia
Gripe mania
Mascarados injustamente,
Desmascarados insanos,
Desmascarados e covardes homens,
Que desvirtua seus sonhos,
Descarados homens que não cumprem suas palavras,
Mas quem morre são crianças impotentes,
São mulheres que luta o pão de cada dia.
Sociedade maldita que acaba com os mascarados.
Porque os desmascarados,
Escancaram sua podridão na guerra fria jamais acabada.
Mortos estarão nas suas intenções abutres.

Epidemia,
Pandemia,
Tortura,
Ouvidos fartos,
Corpos dormentes,
Febres aterrorizantes.
Fedentinas a céus abertos,
Em dois dias morrem milhões pelo mundo,
Um a mais dois a menos, cinco por se vingar, seis para matar,
Vida pulsante,
A sociedade esbarra sempre no perigo,
Nobres ‘poderosos’ esmurram carnes necrosadas.
Pobres povoados choram a míngua diante da,
Epidemia,
Pandemia,
Mania,
Morte!


Paola Vannucci
31/07/2009

segunda-feira, julho 13, 2009

O Circo



Há quem se dedique dentro de um circo sujo e promiscuo,
Há quem se sinta palhaço dentro dele.
Palhaços servem pra dar sabor à vida.
Palhaços servem para alegrar a triste trajetória.
Palhaços vivenciam sua própria desgraça.

Há quem diga que somos partes de um circo.
Somos palhaços da vida, quando,
Somos assaltados, e indefesos entregamos nossas riquezas.
Há quem diga que temos nossos direitos, mas,
São sempre cobrados nossos deveres?


Há quem quer ser o palhaço do circo, não enxergando a vida.
Creio que há passagens internas das quais todos devem decidir
Qual o caminho seguir.
A livre escolha faz do homem um sábio,
Faz do anão, sorridente,
Do palhaço, adjacente,
Da bailarina uma eficiente.
Do domador, demente.


Somos palco ou bases?
Somos aplausos ou derrota?
Prefiro ser eu.
Há quem luta por direitos e deveres sem esmorecer.
Prefiro que os meus usem de sabedoria para ultrapassar barreiras.
Há quem chora na escuridão e se enclausura na parede,
Formando um triste quadro.


Paola Vannucci
13/07/2009

quarta-feira, julho 08, 2009






Mas uma coisa dentro de mim diz:
Tenha fé e ombridade, os que pisam em mim, jamais verao minha derrota, choro dois dias mas nas manhãs seguintes ninguem sabe o porque chorei.

Paola Vannucci
05/06/2009

quinta-feira, julho 02, 2009

"Aprendi que na vida devemos nos alegrar com as pequenas e justas coisas e lutar contra as injustiças. Meu dever é colocá-las no papel, e caminhar."

Paola Vannucci
02/07/2009