Postagens

Mostrando postagens de 2008

Aquele que pensa em mim

Minha voz soa saudosa
Do beijo que ainda não tivemos.
Nossos pensamentos
Cruzam-se na minha ousadia,
Por falar tais sentimentos e
Apostar num futuro incerto.
Será esta a caminhada para felicidade?
Será um novo amor surgindo?
Minha boca deseja seus beijos,
Meus beijos suplicam seu amor
Meu amor quer sua voz sussurrada aos meus ouvidos.
Nossa dança por fim será única
Na poesia declamada diante do mundo.
No dia da enchente,
Não nos aquecemos, mas
Esquentamos palavras
Em propostas indecentes.
Resta-me
Dormir só novamente
Esperando mais uma vez
Aquele que está pensando em mim.


Paola Vannucci
28/12/2008

Voltando para casa

Pensei naquele caderno de anotações poéticas que tenho
Poderia dizer todos os meus sentimentos nele
Como confidencias desejadas,
Ah meu amor!
Como quero que este seja seu caderninho
Para que você possa guiar-me nos seus braços,
Levar-me onde for.
Mas tem uma coisa,
Esbarro pela vida e guardo sentimentos dentro de suas páginas,
Página nova,
Segredos novos,
Vidas sendo descobertas.
Minhas células pulsam,
Passo os minutos a pensar
Na sua doce e rouca voz,
É uma alegria e o riso evidencia meu estado.
Ternura, euforia.
Em meu caderninho existem vários segmentos;
Um deles a felicidade de ter a oportunidade de o conhecer.
Espero!
Meu coração diz:
Volte pra casa com esta certeza.

Paola Vannucci
02/12/2008

Querer!

quero dançar e tomar do vinho que me embebeda de alegria e felicidade.
quero conduzir meu par ao meu corpo
beijar
beijar
sentir o calor
sentir o
sangue pulsar
rodar as alturas
olhar
sorrir
penetrá-lo
quero do vinho tomar

Paola Vannucci
15/10/2008

Dia das crianças!!!

12 de outubro é dia de ser feliz, dia de nos tornarmos crianças sem intenções e razões, dia de apenas viver o lúdico e brincarmos desinibidos.
Ah! Se fosse sempre assim!
Ah!
E minha filha apenas me pediu um abraço e um beijo bem apertatinho e carinhoso.
Consumismo.
Que droga de seres humanos que só visam o lado financeiro e o enriquecimento ilícito de poucos. Classe fajuta e dominante que serve para desbancar os que nada têm. Desbanca a alma e o desejo dos pobres que não sabem nem o que que é ter dinheiro, essa gente toda apenas quer um sorriso e um palhaço de circo para se divertirem.
A sociedade gira em torno do dinheiro se tem grana são felizes, se não tem é a desgraça geral acontecendo e atormentando sonhos. E todos investem cada vez mais altos valores monetários para que dobrem suas fortunas.
Neste final de semana estou trabalhando em um evento de uma Igreja Pentecostal, ‘filmando e fotografando’ o tal acontecimento... Vejo ali naquela Igreja que têm muitas criancinhas ao invés consumir…

Sonho perdido!

Nesta tarde fria,
Começo a pensar no amor que sinto e nada conquistei.
A vida me engana, ou deixo-me ser enganada.
Sei dos meus sentimentos e na distancia continuo
Desejos são metáforas,
Sentimentos são utópicos,
Realização então, passou longe de mim,
Não sou completa,
Não sou feliz,
Não sou realizada.
Ah! Meu amor como gostaria de estar aos seus braços.
Gostaria de... neste momento tomar um sorvete na praça.
Mas este não é pra mim,
Você simplesmente o divide a várias
E eu?
Não o vejo...
Descubro e choro.
Horas poucas felizes,
Horas, muitas horas... Irrequieta, fico a pensar.
Que foi feito do meu sonho?
Que droga de vida que me distancia deste sonho?
O amor.

Paola Vannucci
08/10/2008

Fidelidade

Meus sentimentos somem ao longo do tempo e do espaço.
Perco-me mais uma vez.
É triste saber por mais que eu querira, nada conquistei.
Angustio-me novamente e
Presa aos meus desejos fico
sem poder lhe falar.
Choro calada e sofro em vão...

Fidelidade?

Qual o valor desta palavra?


Paola Vannucci
06/10/2008

Ana Paula Perissé

Essa moça despojada e de conversa gostosa via internet, que acabei conhecendo e aos poucos fui desvendando seus dotes poéticos.
No dia em que ela me mandou o poema para esta postagem, rs, não resisti e respondi rs.... Vamos à leitura desta grandiosa poetisa!!!!

Terror Poético Ana Paula Perissé*

Terror poético para acalentar alma doída.
Poéticas em transe,quase delirantes,
para desfazer o nó górdio ancestral.
Heresias autopoiéticas para abrandar a ausência
que já se desfez
em pedaços de mil fantasias.
despossuídas.
Bombas de poesia
para que ao poeta seja merecido
o pertencimento da vida,
o parentesco e o acolhimento no espanto
dos acontecimentos pulsantes.
Injeções e enxertos de palavras flutuantes
em arte quase pictóricas
para que o sentido obscuro de uma argila dura
amoleça,
em suaves nuances de maciez,
a pele corroída de uma
ardente pretensa poetisa.

Terror poético em resposta!

Terror poético que aterroriza pobres mortais das literaturas
pena,
nossos jovens não decifrarem tais palavras aqui descri…

22 Anos!!

Imagem
Remeto-me ao silêncio e a observação.
Remeto-me ao desejo da conquista e do seguimento.
Remeto-me ao brilho da luz que me proporcionara.
Tudo se transforma...
Ao meu pai, mais uma vez dedico estas palavras.
Pois no silêncio que faz todo sentido e nota a diferença vivida com a experiência.
Calei-me várias vezes para escutar sua voz, mas você partira numa vida turbinada e honrada. Vida louca, pois você tinha de mostrar quem era de verdade, sucunbiu-se pela dor e pela doença da qual jamais pode curar.
Por isso Pai hoje permaneço no silêncio e coloco aqui um pouco de suas palavras e apenas tenho a agradecer o tempo que vivi ao seu lado aprendendo todos os seus ensinamentos.
A maior lição que aprendi com meu Pai é de continuar e persistir, jamais desistir procurando sempre o Amor e a Doação!

Sua filha Paola

26 de setembro de 1971
Silêncio

Tudo é de relativa beleza.
Tudo é plena calma.
É no silêncio desta cela
Em plena madrugada
Que consigo pensar
No que dar, como amar...
É que consigo escrever
E pensar no f…

Ciclos - 7 de setembro

Mais um ciclo se fecha com mais este 7 de setembro, e pouco se vê nas escolas a questão da tão sonhada educação.
Não quero ser redundante, mas é sempre bom um alerta para que possamos pensar. Este ano é ano elitoral e mais uma vez ano de inovações ou seja, para quem deseja inovar diga-se de passagem.
Todos reclamam que sempre se têm as mesmas pessoas no poder, mas se não tivermos escolhas novas, como saberemos se os mesmos não sabotaram tais eventos?
Neste 7 de setembro façamos agir o nosso espirito político e vamos botar a boca a tremer o palanque, colocaremos pessoas com idéias e ideais políticos a tona, pessoas que com caráter nos façam das nossas vidas um leito de prazer, ao invés de desgosto e nojo por nosso país.
Nosssas criancinhas estão crescendo num país onde o Rei ainda é Pelé e a politica ainda é mercenária. Crianças crescem divididas entre o ideal e o sonho acobertado, muitos pais se esquecem que crescer brincando é mais divertido do que a cobrança que assistida dos adultos ac…

Felicidade resistente

Felicidade resistente.
Persiste nas palavras.
Nos desejos,
Nossos encontros.
Felicidade realizada.
Conturbada pelo momento e distância,
Felicidade norteada...
Quanta saudade!!
Ainda bem que tenho saudade.
Pois as lembranças me fazem sorrir.
Por que sorrio?
Riso tirado e roubado pela vida sofrida...
Sorrio por simplesmente lembrar;
Seu rosto, corpo desejo...
Alma,
Sorrio!!
Felicidade farta e presente no brilho dos meus olhos.

Paola Vannucci
02/09/2008

Onde estão as poesias?

Onde foram parar todos os escritos?Onde a mente fundiu e deixou de trilhar belos escritos.Onde foram parar os poetas pensante?Na órbita louca e terrestre deste mundo incessante.Quando voltaremos a escrever?No dia em o juizo nos levará a escrever.Cadê o poeta romântico que parara de sonhar?Fora parar debaixo duma laranjeira a pensar.As palavras voam soltas,Passarinhos os perseguem,Poetas vagueiamMas voltam.Na ternura do suspirar ardente.Paola Vannucci30/08/2008

Coragem

Eis que surge a coragem
Quem é o tolo que não acredita em mim?
Eu acredito, preciso apenas disto.
Acredito que ainda há um mundo melhor.
Mundo digno de tais palavras.
Falo de amor, penso em amar.
Quem? A quem? Talvez, quem?
Penso na Paz!
Doação de corpos até onde posso chegar.
Dor?
Que dor?
Aquela que sinto e choro e ninguém me vê?
Continuo com dor, mas não perdi o amor.
Amor sentido que foge de mim.
Amor saudoso que não me sente.
Ainda persisto no amar,
No doar
Permitir-me
No ar que respiro.
Surjo como luz a
Sorrir.


Paola Vannucci
19/08/2008

Saber viver!

A chama da esperança paira no ar
a espera de quem a busca
a vida louca e tosca
resta um final.
para quem sabe viver tem sorte
para quem não, sofre
a chama da esperança me chama pra viver
ou
não sei mais o que é vida....



Paola Vannucci
12/07/08

Uma semana!!!

Esta semana estarrecedora,
produzir bons frutos
como se o caos estabelece sob nossas cabeça.
se dignidade nada se tem,
quem paga o pato somos nós que vivemos numaa sociedade.
quem paga o pato somos nós que lutamos por cidadania.
que sobrevive é a sociedade carente que chora a morte brutal daquele menino.
quem sobrevive somos nós puros de nós mesmos afim de justiça.
restam as dores,
lágrimas
desesperos,
mas ainda não morremos.
não é desta vez que desisto,
QUERO MUDANÇA JÁ DESTA VIDA!!!!

Paola Vannucci
10 - 07 - 2008

Questão de educação

A chamada para o Progresso e a Educação é algo que evidencia a todos, procurando sempre buscar o bem comum para quando envelhecermos ter a sensação do dever cumprido para deixarmos nossas heranças.
Não é isso que acontece.
Não é isso que vejo acontecer.
A humanidade vive em constante busca e constante falta. A carência tomou conta ao invés de objetivos e responsabilidade.
Um fato marcante ocorreu nesta última sexta-feira:

“Uma menininha que mora no final da rua apareceu no meu portão e pediu para minha filhinha acompanha-la até a padaria para comprar sabão em pó. Ai eu disse:
- Não!Não posso deixar duas menininhas soltas na rua para fazerem isso. Volte a sua casa peça a sua mãe que anote num papel o que ela quer que compre e mais tarde quando a minha filha maior chegar da escola ela vai lá e compra pra você.
A criança foi e voltou toda triste, e dizendo:
- Minha mãe quer que eu vá e sozinha. Mas tia estou com medo. E seguiu.
Estava trabalhando naquele exato momento e não podia largar a casa co…

Dia dos namorados

Meu namorado é a vida, onde
Tenho muitas surpresas.
Dias são de sossêgo,
Dias são de desespero.
Não consigo viver sem...
Não posso acordar sem abraçar
Dormir sem beijar.

Meu namorado me perturba.
Explodindo com seu trilhar,
Sinto-me presa e com mais ação.
Sou bela quando produzo e
Ingrata quando induzo,
Roubo a cena.

Meu namorado, não traz o que quero.
Corro atrás porque faço necessário.
Ele manga dos meus sentimentos
Faz-me pedir.
Faz-me chorar.

Para meu namorado não tem perdão.
Todos os dias acordo...
Vivendo!
Abraçando!
Beijando!

Paola Vannucci
12/06/2008

O dia do amanhã

O dia do amanhã

Detenho minhas vontades,
Na espera do dia seguinte.
Nada sei do amanhã
Sei que depende de mim.
Talvez, não.

Meus atos são intensos
A vida me seduz
Conduz-me a algo ilimitável.
A vida o seduz
O conduz a algo irrealizável,
Estamos sempre distantes.

Minha luta continua.
É rica e farta,
Canso-me,
Pois haverá agonia, tempestade.
Haverá desprezo da alma.
Haverá morte,
Terremotos acontecendo.

E eu sem nada poder fazer.
Vidas ceifadas num piscar de olhos.
E eu sonhando na ideologia
Vidas roubadas sem um por que,
Depois do terremoto,
Vem a tempestade.

Choros,
Coros infantis suplicam por seus pais,
Sem nada entender.

O dia da agonia evidencia a fraqueza humana
O da reconstrução?
O dia seguinte virá
Não sei se com a tempestade?
Não sei se com terremoto?
Não sei se meu amor saberá de mim?

O amanhã sempre irá existir.

Paola Vannucci
27/05/2008

Educar nossos filhos

Quando há o desejo de se ter um filho, esperamos dele ser o que a gente não foi. aí está o principio do erro da educação dada aos filhos, as brigas aumentam cada vez que recebemos uma negativa deles. Na educação moderna enfiamos nossas crianças nas mais diversas atividades, para que eles sejam feitos como máquinas. Máquinas da ginástica olímpica, do judô, do Kumon, do português e máquinas da administração, onde tudo envolve a máquina maior que manipula a mente e corpo das pessoas, o COMPUTADOR. Engrassado Ctrlc + ctrlv, é muito legal a cópia, mas isso escorrega do verdadeiro idealismo de cada um. Na Europa já não é mais usado essa prática, e no Brasil? País das cópias e das não-atitudes, quando se vê um filho copiando, e ele se esquece que está no mundo para ser gente. Educação banalizada estatelada por uma sociedade febril sem ter ideais. Se ensina na faculdade que o Educador deve ser neutro e não deve expor suas idéias para não afetar a liberdade do pensamento do jovem. Mas que tipo de…

Relação tempo e distância

O tempo e a distância,
aumenta o amor que sinto por você.
O tempo corre e a distância fica
imortalizados são nossos encontros,
que fazemos deles algo real e secreto.
imortalizado é o sentir calado e o
agir com o pulsar de nossos corações.

Poucas horas contadas nos dedos,
o sinto.
Largas horas a contar pela distancia,
o desejo.
Meu sonho se realiza a cada quanto tempo.
Sinto-me SUA.
Sinto-me MULHER.
Sinto PAZ.

As paredes escondem nossos atos,
risco em papéis meus sentimentos.
Ah! Não sou nada sem me confessar a eles.
Não posso arriscar,
Não sou nada sem a confissão,

Poucas horas,
e a cada encontro a certeza da união.
Ilusão, não mais tenho.
E sim,
Concretas realizações.


Paola Vannucci
19/05/2008

MEU CORPO É SEU!!

ESTE POEMA É UMA REPETIÇÃO QUE CABE EXATAMENTE NO QUE VIVO E SINTO.
O TEMPO VOLTA, INSISTE E NÃO RESISTE,
A DISTÂNCIA É UMA TORMENTA E PERSISTE. UMA NOVA ADAPTAÇÃO!


MEU CORPO É SEU!!!


Penso na emoção de reencontrá-lo
Penso na relva triste transformada em sonho
Realidade, vontade, desejo, furor da alma.
Naquele dia nossos corpos uniram-se como nunca
Senti-me a mais feliz das mulheres
Senti-me uma rainha sendo conduzida por um rei
Senti o parar no tempo
Penso na pele macia que me restara acariciar
Penso nos encontros dos olhares
Penso na boca molhada e no perfume do desejo
Penso no roçar de nossos órgãos
Penso mais uma vez que valera a pena
Estou feliz e realizada
Sublime desejo que me tomou conta por vários anos
Penso na sincronia dos nossos pensamentos
Mas finalmente o encontrei, entreguei-me.
O encontrei e o dominei a um sonho absoluto.
Penso no enlace dos braços, com leves apertos dos nós.
Penso nas mordidinhas que me sugeriam prender-me calada
Realidade, vontade, meu corpo pede...
Meu corpo toca
Meu corpo …

A sua espera

A pedidos pelo assunto saiu assim este poema:

A sua espera
Você era como um raio de luz,
Mas quebrou com a grande descoberta triste em nossas vidas
Você me fez a pessoa mais feliz do mundo anos e anos
Ficamos juntos numa mesma casa, num lar cheio de desejos e prazeres.
E não mais suportável você se rendeu a uma paixão,
Não mais suportável você esqueceu tudo o que lhe fiz
Não mais suportável você fugiu com um alguém
Sofro a todo o momento e
Quero o seu calor,
Quero sua alma
Seu cheiro
Seu tudo
Estou só agora a sua espera
Estou pensando no passado
Sei que não posso
Mas penso nos delírios loucos que fazíamos apenas
Para que nossos olhos cruzassem numa infindável relação.
Hoje me pergunto:
- O que deixamos de fazer?
Meu bem,
Estou a sua espera.

Paola Vannucci
15/05/2008


A próxima onda!

Vejo desespero em seus olhos
que lacrimejam a dor da nossa perda.
Vejo alegria no porvir,
pois a lição da vida me ensinara
que o que sempre quis foi você
e simplesmente você voltará na próxima onda.

O sol que reflete no mar é
como se fosse um espelho a me dizer
que nosso amor nunca acabará.
As ondas que agora chegam,
trazem seu perfume a banhar-me.
Será mesmo você chegando?

Não estou sofrendo agora
porque sei do seu desejo.
E saberei esperar a sua chegada.
A noite caiu finapara me dizer:
- Faça um poema pra ele....

Escrevo palavras todos os dias
para que você me olhe,
E diga:
Nunca deveria ter saído da sua vida.

O espelho reflete nosso amor!!!!
O desespero fora esquecido.


Paola Vannucci
02/05/2008

Vozes

Vozes cruzadas,
Sons sentidos na alma,
O bater do meu coração eleva-se ao passo que o leio.
A todo instante que caminho, cruzo o horizonte,
Mas não o vejo e sim o percebo,
Pertenço ao mundo
Sigo por suas palavras
A vida me corrompe,
Seu trilhar de linhas me envolve,
Pertenço ainda,
Naquela antiga estrada de ferro que me fizera provar do mel
Era tão criança....
Via nos seus olhos límpidos e carentes um novo brilhar
A estrada já não é a mesma.
Sigo ainda o favo de mel,
Éramos inocentes como a corrida atrás daquele balão
Pena que nos dias de hoje se vê turbilhão ao invés
Das geleiras no final da montanha...
Que ecoava sua voz,
E agora some
Consigo apenas lê-lo.



Paola Vannucci
27/04/2008

DIVERSÃO!

Divirta-se com a vida se não ela te rouba os sentidosAparentemente não vejo sentindo na vida que estou levandoSimplesmente vejo luta e questão de sobrevivência

O mundo cão devora-me a cada passo que dou

Sinto-me envelhecida e riscada pelo mapa dos canibais.

Sinto-me esgotada,

Apesar da vida que insiste em meu peito.

Sinto-me presente na ausência do meu amor,

Sinto-me como jamais senti antes

Pela luta por sobrevivência

Dias trabalhosos, conturbados.

Coração a vibrarChoro a chorar

Gritos que não se grita

Uma música alta

Relação que não tive...

Um desejo cada vez mais preso

Sinto calor, arrepio.

A falta do meu amor que não vem

Sinto o mundo cão e

A diversão roubada dos meus sentidos


PAOLA VANNUCCI
25/04/2008

AMWAY – E SEUS SEGUIDORES

O conceito básico e fundamental sobre a AMWAY é de que seja uma religião anticristo, onde todos veneram o dinheiro, visando os coitados que a perseguem. São os fanáticos do capitalismo.
Ontem a noite estava assistindo uma palestra de um Professor E Teólogo da PUC-SP onde ele relata a vinda de dois índios de uma tribo, se não me engano Guaranis, não lembro muito bem, mas o fato é que eles estiveram em São Paulo a fim de conhecerem a cidade grande, seus megas shopings, a metrópole em si, quando chegam ao Mercado Municipal da cidade , encontram as tais riquezas, que para eles a maior riqueza é o alimento para que todos possam viver felizes e em harmonia, de repente um deles vê na bancada de cima muitos alimentos e fica maravilhado, mas o outro vê da bancada para baixo um menino colhendo restos podres do alimento que caia constantemente, e o menino se fartava daquele alimento como se fosse o último recurso da sua vida, - era o último recurso, pois supostamente morreria de fome. – O índio s…

Sistema!

Hoje deveria escrever poesia, mas como escrever poesia se a vida restringiu-me a luta para todos os meus objetivos?
Certa vez, como sempre que preciso de alguma ajuda do governo, ou órgãos do governo sempre tenho de ficar nervosa, gritar, bradar, fazer com que meus direitos venham a tona. Isso é um horror, pois viver sempre cobrando e me extressando, tudo poderia ser mais fácil se um bendito sistema não me impedisse de agilizar o processo de uma simples consulta para dar continuidade a um caso particular.
A questão é a seguinte:
Precisava continuar tratando da saúde da minha filha, e em 10 anos certo médico não me dava encaminhamento mais detalhado ou me enviar para um simples especialista do intestino. Bom, a questão é a seguinte depois que resolvi junto com a minha família o diagnóstico da minha filha o médico ainda relutou em me ajudar, ainda tentou me ludibriar achando que fosse qualquer uma... e claro como sempre, eu Paola botei a boca no trombone, telefonei para 156 telefone da Pre…

O funk é Freud

Olá pessoal, estou abrindo uma nova remessa para meu blog este ano, este artigo não fui eu que escrevi, mas tem seus méritos e dos bons. Em breve quero escrever, colocar aqui artigos para serem discutidos, criticados, ou quem sabe.... Que venham as críticas, vamos parar de lenga lenga!, Rs Beijos a todos e Feliz 2008!! PAOLA VANNUCCI O FUNK É FREUD Levanto da cama todos os dias por volta de 6h da manhã. É uma obrigação, mas há um toque de crueldade nesse ritual. Não acordo com o tradicional "ring" do despertador, "bip" do relógio ou, para os mais modernos, toque polifônico do celular. Sou suavemente agredido com um funk. Todos os dias, de segunda à segunda, às 6h da madrugada.
Corta
Freud achava a música uma atividade inferior. Faz sentido, haja vista que, quando você faz um festival de música, aparecem de quatro a cinco mil inscritos. Resumindo: qualquer imbecil analfabeto pode fazer uma música; trata-se de uma atividade sensorial. Não é de hoje, mas o sensorial é moda.…
A cada minuto

Sinto-me invadida,

os passos, não são mais meus e a vida é um inferno sem fim.

tudo poderia ser para e pelo amor.

Mas Pessoas que me rodeiam, invadem-me e me deprimem.

A vida é um mar de sangue.

Não sei mais o que é viver.......





PAOLA VANNUCCI

08/02/2008