Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2006

Aquela noite....

Distinta noite de luar
Onde você me seduzia a largos beijos
Quando na arte de amar, simplesmente rendo-me
Ao afago ao braço forte ao desejo
Você me aceita com um simples toque
Eu o num simples olhar o tenho completamente meu,
A mim cabe a liberdade de amá-lo
A mim cabe docemente a realizar o mais belo dos prazeres
A noite esquenta meu corpo nu e trêmulo
A noite caminha ao desenrolar e embaralhar nossos sentidos
A noite esfrega nossos corpos num banho de mar
Doce prazer com um tom voraz
O desejo ardente me persegue
Você me prende com sua boca a me sufocar
Quero gritar
Quero subir as paredes
Quero me molhar
Quero nunca mais vesti-lo
Quero amar...
Quero aqui neste momento perder a vergonha...
Pobre e triste noite de luar
Que acaba com o raiar do sol
Pena meu corpo separar
Pena que na noite seguinte a certeza fora em vão...
Pois quero a luxúria do prazer
E meu corpo o entronizar!






PAOLA VANNUCCI

Voilência

Eu não posso de deixar de falar sobre a vio`lência. É uma banalidade. Ontem foi lembrado o Dia Internacional Pelo Fim de Toda Violência Contra a Mulher. Leiam a baixo, e denunciem a cada ato injusto, não só a nós mulheres, mas como a sociedade em si. Crimes não podem ficar impunes. Ligue 180 Direitos
Movimento de defesa da mulher comemora dia contra violência
25 de novembro de 2005, às 15h00
Hoje é o Dia Internacional Pelo Fim de Toda Violência Contra a Mulher. A data é comemorada há 24 anos, e foi criada durante o I Encontro Feminista Latino Americano em Bogotá.
Em Florianópolis, a manhã foi marcada por uma audiência pública na Assembléia Legislativa, promovida pelo Fórum da Mulher Parlamentar Catarinense, com o tema "Violência Doméstica".
Durante a tarde dessa sexta-feira ,será realizado um ato público na praça Fernando Machado (praça Miramar), com a participação de várias entidades ligadas ao movimento de defesa da mulher. Atividades educativas e orientações para o combate à violê…
Emanoel Araújodiretor Museu Afro-Brasil
Segunda-feira, dia 20 de novembro, comemora-se 35 anos da criação do dia Nacional da Consciência Negra. A data foi escolhida por ser o dia da morte de Zumbi, líder do Quilombo de Palmares e símbolo da resistência negra contra a escravidão, assassinado em 1695. A abolição da escravatura foi em 1888, mas até os dias de hoje a diferença se vê na sociedade. A população negra recebe salários médios menores que os brancos; o rendimento médio de uma família negra é menor do que de uma família branca; a taxa de desemprego é maior entre os negros; e a taxa de analfabetismo entre os negros e pardos é o dobro do que entre os brancos. O entrevistado do Roda Viva é o baiano Emanoel Araújo. Artista plástico, ele nasceu em 1940 e teve a sua primeira exposição individual em 1959. Foi diretor do Museu de Arte da Bahia, professor de artes gráficas e escultura nos Estados Unidos e editou livros como "A Mão Afro-Brasileira", um levantamento da contribuição d…
VERDADES E MITOS SOBRE OS PERIGOS E O POTENCIAL DA MACONHA
Droga pode causar dependência e ataca pulmões como o cigarro, mas seus efeitos sobre neurônios, memória e aprendizado

Reinaldo José Lopes, do G1, em São Paulo entre em contato

Poucos assuntos criam mais controvérsia e geram mais curiosidade do que a maconha, talvez porque se trate da droga ilícita que as pessoas comuns têm mais chance de conhecer ao longo da vida – estima-se que até 4% da população mundial já a tenha consumido.
Mesmo assim, uma cortina de fumaça de desinformação ainda cerca a planta e seu uso. O G1 responde abaixo às dúvidas mais comuns sobre a maconha, utilizando as últimas descobertas de médicos e cientistas para esclarecer quais são os perigos e o potencial da droga.
De cara, é bom avisar: maconha faz mal. Embora não seja muito diferente de fumar um cigarro comum, com os mesmos riscos de câncer e outras doenças relacionadas ao trato respiratório, ainda assim é o tipo de perigo que até mesmo os mais entusiastas…
Ditadura Militar

Assunto difícil, delicado de se tratar. Mas diante do fato do julgamento do “Ustra” não posso deixar-me calar.
As pessoas tratam as outras pessoas como se fossem animais, esquecem de que somos seres humanos iguais, diferenciados por raça, cor e etnia, mas somos feitos de carne e osso. Na época do Militarismo, quem comandava, eram todos uns covardes e sanguinários. Eu não tenho medo nem vergonha em falar, porque o direito de ir e vir é todo meu, é todo nosso. Só quem vive, ou viveu com presos políticos, sabe o que é passar a vida sob tortura, sim porque é uma constante tortura viver sob um teto de um torturado da época.
Uma pessoa tortura, não vive a alegria direito, vive a ganância ou pela vida ou pela morte. Mas nunca perde o sonho, a luta por seus ideais, jamais perde o humanismo e o brio. O caráter de cada um já é formado no ventre materno, e essas pessoas morrem para deixar seus rastros de conquista nessa vida que até então é maldita, e banalizada por certas pessoas …
Moçada, leiam isto, amanhã dou meu parecer

Mas adianto, os militares todos deveriam serem banidos e torturados deste país, assim como eles atrocidaram famílias inteiras. amanhã dou meu parecer...

A todos os militares que assolaram o Brasil, merecem a morte!!!!!!!!!!!

PELA 1ª VEZ, MILITAR VAI RESPONDER POR CRIMES DA DITADURA


Coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra é acusado pela família Teles, que teve duas crianças torturadas


Ardilhes Moreira, do G1, em São Paulo entre em contato

Pela primeira vez no Brasil, um militar de alta patente será colocado no banco dos réus por crimes de tortura cometidos durante a ditadura militar. O coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra, que atuou no Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), em São Paulo, será julgado na quarta-feira (8), a partir das 14h. O coronel vai responder a uma ação declaratória movida por Maria Amélia de Almeida Teles, integrante da Comissão de Familiares Mortos e Desa…

Quem canta no momento?

Muitas vezes, o sol me derretera por tanto esperá-lo
A lua me consola a enxugar minhas sofridas lágrimas
Meu desespero aumenta a cada toque de piano,
A Yves não esquece a nossa canção
Lembro que um dia sonhamos juntos
Lembro que um dia era você do outro lado da porta
E todos me disseram para abri-la e enfrentar meu coração
Mas você fugiu como quem foge da cruz
Santo Deus como posso dar continuidade ao que sinto?
Como meu divino e amado desistiu de me buscar?
Agora ouço a voz de Antony
Ele é quem canta pra nós,
Pois a Yves cansou
Antony nunca desistiu
A noite é quente
Mas não há estrelas a brilhar
Somente a lua reflete meu triste rosto a beira dum rio
Você todo apagado fugiu...
Pobre lua a enxugar minhas sofridas lágrimas
Ouço a porta bater
Ouço uivos de lobos

Querem me comer...
Sinto suas pegadas aqui, bem perto...

Meu amor trancara nas profundezas desse rio
Fugindo do alcanse dos meus braçaos.
Agora como a noite é longa...
Pedi a lua para me consolar...
Ai de mim se não tivesse ao menos essa lua!


PAOLA VANNUCCI

COMPARTILHAR....

Toda hora é hora de compartilhar
O desejo é seu, é meu, é confuso.
É
Mas nos esquecemos das crianças
Seres calmos e humildes que,
Hoje em dia, suja sua roupa de sangue,
É este sangue que é compartilhado o pão.
Crime que vem crescendo dia após dia
Dia vem, dia vai
Dia após dia... e,
Compartilhamos a morte.
Pois bem,
Toda hora é hora de viver
Ninguém quer morrer...
Então!!
Porque deseja a morte, criança linda?
No começo o desejo é nosso, criança linda...
Agora vejo que sumiu o seu desejo
Ah! Eu sei...
Seu desejo é de viver
Viver!!!
Não é, criança linda?
É
Toda hora é hora de compartilhar...
Compartilhar, comparsa, companheiro.
Compartilhar!


Uma série de poemas meus dedicados às crianças.




PAOLA VANNUCCI