quarta-feira, março 10, 2010

Eleanor de Aquitania



Arcamos por atos e conseqüências.

Eleanor nascera através de atos obscuros,

E de conseqüências marcantes.

Neta das trovas,

Na via se impunha.

Marido algum atrevera dominar,

Marido fazia jus do seu amor,

Nem os amantes lhe serviam a contento.

Pois a corte francesa e inglesa era seu objetivo mor.

Eleanor

Mulher que para história ficara,

Levara seu filho para as Cruzadas.

Eleanor almejava sempre novos horizontes e

Aquitania era geograficamente pequena para tais atos.

Seu legado de amor com Henrique sobreviveu e

Bravamente sustentou, pôs fim

A vida que a atormentava com

Nobres causas, atos e conseqüências,

Acreditando em seu próprio objetivo.

Paola Vannucci

23/01/2010

7 comentários:

Carmen Amorim disse...

Olá querida amiga, mais uma vez obrigada pela delícia que é visitar seu blog. Beijos no seu coração!!!

Flávio Otávio Ferreira disse...

Essa "Eleanor" tomou a rédea do destino!!!
Belo texto!!! Abraços...Paz e Literatura sempre!!!

david santos disse...

Olá, Paola!
Grande! Muito grande! Obrigada.
De facto, para qualquer ser humano, ainda que tenha muita força e coragem, será muito custoso remar sozinho o seu próprio barco. Por isto, e não é pouco, temos de render homenagem a este grande ser humano: Eleanor de Aquitania.
Abraços, David Santos

Marcio RIbeiro disse...

Bom , muito bom !!!

Daniel Aladiah disse...

Querida Paola
Quero desejar-te uma Páscoa Feliz!
Um beijo
Daniel

L. Rafael Nolli disse...

Gostei da Eleanor. Belo poema-retrato, Paola!

citadinokane disse...

Al Di Meola e o Paco de Lucía misturados com Eleanor... Muiiito bom.
Beijos