Paz sem voz é MEDO!

Precisei da polícia um dia...

Mas a filha da vizinha telefonou com medo,

A criança bradara na ligação,

O atendente mal tomou conhecimento.

- Preciso da polícia por uns instantes...

Mas o atendente a descartou,

Achou que trote seria.

Desligou o telefonema, alegando que

Uma viatura passará por perto e nos arredores de sua morada.

A vizinha chegou e se desesperou.

Nada fora realizado,

E a polícia não gravara a ligação.

Se Paz sem vós é medo;

Porque da discriminação da policia ao atender um telefonema?

A vizinha fizera valer a ligação,

Mas nada adiantou, e todos relataram:

- Talvez pensassem que fosse um trote

- Talvez a voz da criança não fora o suficiente para darem valor

Ao que diz.

A mãe da criança convulsões sofrera,

Mal podia andar.

Quando de carro chegara,

Telefonara...

O atendente conversou

Alegando mais e mais

Respondendo a todos os porquês das suas indagações, mas...

Nada fizera,

Se Paz sem voz é medo?

Polícia incapaz de atender um chamamento também é medo.

Qual será o procedimento a tomar diante de qualquer ligação para a polícia?

Paola Vannucci

27/11/2011

Comentários

Aldo disse…
ficou bacana e é necessário sempre falar, toda vez que nos calamos estamos contribuindo para a calamidade, nossa apatia não pode ser generalizada, e sempre temos de acreditar no nosso poder, que podemos mudar algo quando não nos calamos, que temos o direito e que nenhuma os apelos de nossa voz será em vão, devemos gritar, não nos calarmos. Quando mais pessoas se indignarem e se mobilizarem mais conseguiremos um resultado, são deveríamos sermos reféns e sim deveríamos poder usufruir de tudo pelo qual pagamos caro e de várias formas. Continue sempre de braços levantados e reivindiquemos os nossos direitos... Aldo

Postagens mais visitadas deste blog

Homenagens aos pais - Minha formatura

Isadora Duncan (americana, 1878-1927 :: bailarina)

A Cor que Chama Sua Atenção