BOSQUE



The Cure - A Night Like This

Bosque que procuro incessantemente por meu amor,meus sentimentos atordoados me fazem segar a visão, pobre de mim uma donzela perdendo os sonhos pela vida e meu amor perde-se por tantos esconderijos e não cai na armadilha que criei. Meu amor some na tempestade para lavar a alma e fazer cumprir o que o coração pede.
Eu aqui distante nada sei, penso que sinto e acabo agindo errado.
Será?
Será que os sentidos são contrários?
Será a fascinação existente?
A emoção da carência me derruba e novamente
Grito a quatro paredes.
Quem? Alguém a me ouvir?
Novamente o grito desesperador e nada suavizado,
Ensurdeço agora com a musica.
Era pra ser uma noite com taças de vinhos.
Mas, o grito sumiu e perdeu forças naquele bosque
Estou rouca e não movo mais meus braços
Cai na minha armadilha e ainda só estou.
Fascinação pelo lindo bosque
Do olhar que não fora meu.
Do corpo que não toquei, jamais tocarei, jamais sentirei
Perfume ausente, sem alergias.
Perfume esgotando o desejo
Graças ao bom Deus
Sem alergias e nem frustrações
Apenas a doce alegria de ver a dor aumentar
A quatro paredes fecho meus olhos e a noite escurece o dia
Numa dança louca e transitória
Meu grito pra ninguém ouvir estou presa pela
Fascinação deste terrível bosque cinza
Transformado em cidade de canibais.


Paola Vannucci
01/07/2007

Comentários

Menina do Rio disse…
Acabei perdendo os sonhos pela vida e meu amor se perde pelos bosques...

Eu acabei indo, mas pra outro sítio.

http://recantodaalma.blogspot.com

Te espero por lá.
Já sentia a tua falta!
Bom retorno!

beijinhos
André L. Soares disse…
Paola, boa tarde! Será um prazer tê-la engrandecendo o concurso. Para participar há duas formas: a) ser indicado por algum poeta concorrent; b) ser indicado pelos organizadores (Eu e Rita).

Então, escolha um poema seu, postado neste seu blog, no ano de 2007 e envie o linkd do poema para o email do concurso:

canetadeouropoesia2007@gmail.com

Feito isso, enviaremos a você todo o material de divulgação e as regras do concurso. A partir daí, você já estará concorrendo, bastando que indique 5 poemas de outros poetas, também postados em blog, no ano de 2007; desde que não seja poema seu, nem postado em blog do qual você seja co-autora.

Bom, na verdade existem mais detalhes. Melhor mesmo você ler as regras todas e, precisando, tirar as dúvidas conosco.

Fico aguardando seu email.

Grande abraço, Poetisa!


André L. Soares & Rita Costa.
.
.
.
Olas querida amiga Paola!! Saudadesss Estou sem tempo!! Mas qdo der apareço!! Bjoss te adoro miga!! Boa semana bjinhusss
Leila Lopes disse…
Paola, certamente todos nós encontramos pela estrada um bosque denso, o único caminho é atravessá-lo sem medos.
Beijos e uma linda noite hj e sempre.
rui disse…
Olá Paola

Estava passando para deixar um abraço, quando vi que há novidades!
Um poema!
Lindo. É uma poema que nos agarra.
Agarra-nos por dentro, no coração.

Adorei
Beijo para vc Paola
citadinokane disse…
Paola,
Juro que acabei me perdendo no bosque...
Acabei te encontrando tão silente, não?!
Beijos,
Pedro
Este comentário foi removido pelo autor.
"...Era pra ser uma noite com taças de vinhos.
Mas, o grito sumiu e perdeu forças naquele bosque
Estou rouca e não movo mais meus braços
Cai na minha armadilha e ainda só estou.
Fascinação pelo lindo bosque
Do olhar que não fora meu.
Do corpo que não toquei, jamais tocarei, jamais sentirei
Perfume ausente, sem alergias.
Perfume esgotando o desejo..."

O bosque é um mistério sentimental dos desejos e dos sonhos.
Adorei! Adorei!
Bjs/Ru
Anônimo disse…
Há! Paola vc cada vez nus surprendendo com belos poemas que sensibilidade poética,vc nus da muita alegria beijo no seu coração.

Celso DF

Postagens mais visitadas deste blog

Homenagens aos pais - Minha formatura

Isadora Duncan (americana, 1878-1927 :: bailarina)

O preço da honestidade