Assim começa 2013

Não há silêncio que me faça entender
Tal brutalidade,
Não há vida que se possa tirar diante de
Tal banalidade.
Estamos no âmago da barbaridade.
Jovens saem matando desenfreadamente,
Por motivo torpe,
Por praticarem desgraça alheia.
Jovens matando jovens,
Tribos rivais, drogas eminentes...
Um rapaz,
Mas um rapaz, de boa família,
Amor em construção,
Objetivando sua trajetória,
Gostava da vida, de sua namorada,
De seus estudos.
Um rapaz poderia ser filho de qualquer um.
E sua mãe derrama lágrimas sofridas por sua ausência eterna,
Sua namorada ficara em estado de choque.
O que é a vida de um jovem perdida?
Já os policiais nem observam os fatos, dizem:
- Mais um acerto de contas.
Onde estamos vivendo?
Até quando iremos retroceder na caminhada?
Pelo que sei o mundo dos canibais não é este.
Autoridades partem sempre da mesma linha de investigação,
Que somos iguais, e quando se morrem assassinados,
Sempre é por um mesmo motivo.
Autoridade corrupta,
Autoridade covarde,
Autoridade miserável,
Que contabiliza mais uma perda, mais um corpo nas suas estatísticas,
Mas não há
Autoridade que vá silenciar a dor dos entes queridos,
Ninguém vem a minha porta, oferecer o clamor de Deus.
E até agora, não consigo entender:
Qual foi o propósito de Deus para este rapaz?

Descanse em Paz!

Paola Vannucci
15/01/2013


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Homenagens aos pais - Minha formatura

Isadora Duncan (americana, 1878-1927 :: bailarina)

A Cor que Chama Sua Atenção