Estrela


Tiros, pauladas, bombas...
Da história esquecida,
Observo verdade estampada no rosto de cada cidadão,
Meu coração vibrou ao ver a multidão nas ruas,
Povo da gana, da raça e da coragem.
Manifesto digno feito sem violência
Sem bandeira e sem cor,
Paz é o que pede a população fadada ao sofrimento.
Penso nestes dias,
Num grande ativista que conheci. RS!
Numa estrela que para mim
É imortal e sublime, que
Deixou um dia a semente no meu coração,
E por isso não descanso sem alcançar tais condições.
Choro muitas vezes.
Manifesto calada minha dor.
Mas ao ver aquela multidão,
Repetidas vezes orgulho-me de ser filha de quem sou.
Orgulho-me, pois corre em mim marcas,
Que seriam tristes, mas viro a cara,
Marcas sujas de um regime político.
Corre em mim o sangue fervente,
Que jamais abaixará a cabeça diante dos gananciosos.

Está mais que na hora de levantar a verdade,
Acordar para um mundo justo.
Devemos nos lembrar de todos aqueles que um dia lutaram,
E,
Não estão mais presentes,
Devemos correr praças, avenidas, bradar todos os ideais,
Não é nossa obrigação,
É nosso dever, é nossa Pátria.
São nossos filhos,
São...

Devo lembrar que
Uma estrela não morre tão fácil,
Ela deixa rastros e perpetua
Sua existência no ato da explosão.
Devo lembrar que somos filhos da revolução.
E que a estrela que se apaga,
É o político que rouba uma Nação.

Paola Vannucci
18/06/2013

Comentários

Wellington Rex disse…
Este poema é épico e diz muito do que está acontecendo nestes dias no Brasil. Deus abençoe a essa estrela por ter gerado você.
Mentora disse…
AMIGA, SUA COLOCAÇÃO NESTES VERSOS É O DESABAFO DE UM CORAÇÃO QUE VIU O SOFRIMENTO QUE GRITA AGORA MAIS DO QUE NUNCA E NÃO QUER MAIS CALAR!
pARABÉNS! GRANDE ESCRITORA E POETA
ELCIO ALVES disse…
"Devo lembrar que... Uma estrela não morre fácil..." Bela frase...

Postagens mais visitadas deste blog

Homenagens aos pais - Minha formatura

Isadora Duncan (americana, 1878-1927 :: bailarina)

A Cor que Chama Sua Atenção