FLAMBOYAN




Suas diversas tonalidades lembram-me o surgir de uma grande amizade, lembra o sol nascer com profundas cicatrizes marcadas por uma noite ardente.

Aquela mulher torturada por seu marido que simplesmente a deseja e ela não, aquele homem que suspira em vão...

Você já viu homem suspirar?

Eu não....

Mas a árvore cresce e dá bons frutos, assim é o que se esperaflores coloridas primavera alegre, outono quente, o tempo pirou, mas a brisa ainda é leve...

Vivamos o florir de um flamboyan.

Vivamos a alegria da vida, mas que contradição, políticos querem dar a legalidade do aborto ao invés de dar informação e oportunidade de desenvolvimento ao povo.

Lamentável é o florir da árvore se não temos nada de dignidade.....


PAOLA VANNUCCI
29/03/07

Comentários

Pois é, querida, indignações temos aos montes, mas o importante mesmo é saber converter as agruras em signos sensíveis de vida. Talvez a coisa de reciclagem da alma humana. Olhando atentamente é possível enxergar além e a própria natureza se compraz de ser guia.
Que bom contar com mais um espaço de leituras. Ainda por cima topar com Pierre Verger, fotógrafo de grandiosos olhares humanos. Isso me faz lembrar a galeria de trabalhos dele situada em Salvador. Coisa bela!
Virei aqui sempre! Pode me chamar!
Beijos!
Paulo Mello disse…
Flamboyan... árvores de belas flores inspirando tão doce poema, suscitando tão importantes reflexões.

Respostas, amigas, estão todas dentro da alma, esperando o momento certo de despertar.

Vim trazer-te um abraço e votos de um final de semana de paz e alegria.
Daniel Aladiah disse…
Também suspiro, Paola... quem diz que é coisa só de mulher? :)
Um beijo
Daniel
Fabiana Borges disse…
esqueceu d mim?
:(
Navi Leinad disse…
Paola, o Nelito é um homem que suspira, assim como eu também! Não por ele, claro... muito menos ele por mim!!
Apenas suspiramos. Entendeu, né?
:-P

Postagens mais visitadas deste blog

Homenagens aos pais - Minha formatura

Isadora Duncan (americana, 1878-1927 :: bailarina)

O preço da honestidade