sábado, março 21, 2009

Saúde Pública



A morte recente do grande astro popular Clodovil, me deixou um pouco triste, suas aparições diante do público eram engraçadas com um ‘q’ de verdade que todos jamais falariam. Ele sofreu um suposto AVC e logo que foi descoberto foi prontamente atendido e dirigido a um hospital e teve os melhores tratamentos para que pudesse recuperar a saúde. Não estou desmerecendo de Clodovil, mas o fato é mais grave.
Assistindo o jornal após o almoço vejo a noticia de Clodovil, mas também uma noticia sobre os hospitais de Belém do Pará, que simplesmente as pessoas chegam lá e não tem infraestrutura alguma de atendimento e morrem a céu aberto. O que a população tem de diferente das pessoas públicas e dos políticos? Na maioria do país nossa população chega aos hospitais para serem atendidas e acabam-se encontrando nos açougues a espera de serem abatidos como se fossem porcos para riscar do mapa sua estada na Terra.
Eu vi a senhorinha agonizando na hora da reportagem. Será que as autoridades percebem alguma coisa? Claro a resposta que se tem é que todos estão trabalhando dentro de um sistema e que numa grande bola de neve, se obtém menos de 1% de resultado.
Enquanto aquela senhorinha morria, seus parentes desesperados esperando apenas alguma comunicação de que o melhor estava por fazer, e nada escutaram apenas outros doentes agonizando e lamentando a morte ao lado, talvez pensando – o próximo será eu! – enquanto num outro lado do país o pai vê seu filho morrer na fila de outro hospital, e a criança tem um alento de estar segurando a mão de sua mãe como se segura a mão de Deus! Casos similares ao de Clodovil acontecem, casos até mais graves acontecem e nada tem a fazer a não ser esperar até a gravidade da situação. O que é pior do que a morte? Será o verdadeiro descanso?
Pessoas estão presenciando entes queridos partirem sem alguma explicação com todos os sofrimentos possíveis.
Fico pensando: o que será que um político que está lá no plenário votando as leis, pensa na prática?
Morre um, morrem três e cria-se o Rap dos Carniceiros, sim porque nos dias atuais os piores hospitais das grandes capitais são conhecidos como açougues. Aqui existem pelo menos três açougueres de qualidade. Sinceramente gostaria de estar comprando picanhas nos lugares certos ao ver que por causa de um Sistema Ordinário muitas pessoas morrem como se fossem menos um para super povoar o Brasil.
Pensem bem, a boa morte desenfreada ou a farta natalidade? A educação ou o analfabetismo?

E Clodovil disse certa vez no Plenário:

- Isso aqui está parecendo mercado de peixes!

Será que é isso mesmo?
Tirem suas conclusões.


Paola Vannucci
21/03/2009

12 comentários:

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Oi amiga! Gostei muito do seu texto.
Sempre nos trazendo textos que servem para refletirmos. Tenha um ótimo sábado! Beijos!

Anônimo disse...

HIPER__paola,

guardadas certas reservas em relação ao reacionário do deputado clodovil, a coisa tá preta/russa/feia...
temos que reconhecer que o sistema de saúde só funciona no dia da inauguração dos hospitais e postos de triagem e atendimentos. Isto é, só funciona na presença dos ‘nossos’ senhores prefeitos, governadores, secretários, ministros e presidente acompanhados dos seus requeridos acólitos puxa-sacos, bajuladores de ovo goro....


tavares

Patty (PPM) disse...

Minha amiga; assim como você também vejo a área da saúde em nosso país sendo tratada com enorme descaso. E o pior é que de um forma ou de outra, todos pagamos impostos em tudo o que consumimos, quase até mesmo para respirarmos não é verdade? Mas melhor não mencionar isso, vai que alguém lê, e acaba achando que é uma boa idéia cobrar (também) por isso, não é verdae? (rsss)
Também fiquei chateada com a morte do Clodovil; sei que este é o fim de todos nós, mas a forma "sem delongas" de como ele tratava os assuntos mais dicersos, isso irá fazer muita falta. Quero ver quem é que terá coragem de dizer (novamente) que aquele lugar precisa de ordem!
Fico muito agradecida por ter recebido sua visita lá no VENTURAS..., volte sempre que quiser, será um prazer. Um grande beijo e um forte abraço minha amiga poetisa!

Anônimo disse...

Querida Paola, suas observações sempre nos fazem refletir mais sobre fatos que emergem dessa sociedade que como já dizia cazuza "fede"; desde tempos remotos a saúde e a educação em nossa sociedade é desmerecida. Em uma sociedade capitalista como a nossa, as pessoas valem pelo que tem e não pelo que são como pessoas humanas e filhos de Deus. É lamentável que coisas assim, em pleno século XXI, ainda aconteçam, mas quem sabe, se gritarmos todos juntos a uma só voz, um dia sejamos ouvidos!
Beijos amiga
Jane Peralva

Cássio Amaral disse...

Seu texto é bem pertinente Paola. Bem crítico e o acho bem contextualizado. Não era fã de Clodovil, o achava ego puro. Mas a saúde nossa está péssima.
Minha tia mudou para aí porque aqui em Araxá ia morrer, os médicos disseram que ela tinha que amputar os pés, aí ela operou e consegui se restabelecer.

Minha cara, você escreveu muito bem o que o povo tem sofrido. Parabéns. Muita luz e saúde.

Beijo.

Fabrício Brandão disse...

Como diria Caetano: "gente deve ser bom!"

Beijos, querida!

Daniel Aladiah disse...

Querida Paola
Sempre interventiva e denunciadora do que é preciso mudar. O Brasil não está isolado nas carências. Elas acontecem mesmo no país mais rico do mundo. Estamos a caminho, mas ainda não chegamos lá, e sempre que lá chegamos, as exigências estão já a desejar chegar mais longe... somos humanos.
Um beijo
Daniel

celia musilli disse...

Paola, o descaso com as pessoas em nosso País realmente choca e nos deixa indgnados..Bom quando pessoas como vc expressam esta indignação..não há outro caminho para tentar mudanças senão exigindo providências..Um beijo!

Raphael Antunes Bastos disse...

o clodovil era apenas mais uma caricatura nesse país do carnaval, sendo pois do carnaval parece que o povo nao enxerga outra coisa se nao esse, pois como vc bem frisou a saúde é um caos, seguido de educaçao, segurança e outra mil mais. parece com exceçao de poucos que isso nao importa. mas como dizem q Deus é brasileiro vamos nos apoiando nele até os politicos se cansem de safadeza ou o povo comece realmente cobrar mudanças.
parabens paola, mais uma vez nota mil pra ti...

Harold disse...

Paola!
Infelizmente, o cuidado que Clodovil teve no seu período de internação, provavelmente, tem relação com fato dele assumir posição como parlamentar. Nesse caso, há uma prioridade injusta. Penso que o sitema de saúde daqui deveria ter a prioridade utilizada no Canadá: todos têm direito ao atendimento gratuito, inclusive os estrangeiros.
Lamento o descaso que foi mostrado na reportagem por você citada. Tenho imenso carinho pela cidade de Belém. Vivi ali nove anos de belo aprendizado. Por isso, as situaçõers de dor lá acontecidas me afligem. Tomara que a autoridades do estado e do país despertem da letargia e façam algo pelos cidadãos que pagam impostos e que são merecedores de toda consideração.
Beijos e vida!

Anônimo disse...

Bom dia Paola como vai !
Olha fiquei muito feliz com sua presença em meu blog de fotos, muito me horra em recebelo por lá! Fiquei feliz de sber que algumas vezes você se inspira em minhas fotos para escrever uma alguma poesia é bom agente saber que sou util por uma boa causa!Olha seu texto esta maravilhoso esta é a verdade da nossa saúde publica em nosso pais! Aqui em Brasília os hospitais estão abandonados, é muito triste agente ver as pessoas morrendo a mingua agonisando nos corredores da morte dos hospitais de Brasília nas cidades satélite infelismente é esta a realidade do povo! O povão não é autoridade para receber o melhor atendimento como foi o caso do clodovil e muitas autoridades do colarinho que branco, que roubam o dinheiro dos hospitais e trasnforma em cpmf e niguem viu esse diheiro que era para ser aplicado na saúde pbublica do nosso pais Beijo no seu coração.
Celso.

Eu em Fragmentos de Ontem disse...

Tudo o que o Estado oferece ao "cidadão pobre" é de muita baixa qualidade - melhor não oferecer nada! Quem sabe a Iniciativa Privada não agiria com mais generosidade...(????)) E, sem dúvida, a Saúde Pública é Lamentável: pacientes padecendo nos corredores, feito cachorro sem dono e isso sem falar na "antipatia" de funcionário em geral, médicos e enfeimeiros(as) Que "Estado" é esse?????